News
Loading...
Blog Parceiro

Campanha de Vacinação Contra Raiva em Cães e Gatos 2017 - São Paulo


A Campanha de Vacinação contra a Raiva para Cães e Gatos no Município de São Paulo será realizada no período de 21 de agosto a 03 de setembro de 2017.

A ação contará com mais de 2.000 postos de vacinação, oferecidos em diferentes endereços da cidade, sendo 23 em endereços fixos durante todo o período da Campanha. Os postos funcionarão das 9h às 17h.

A raiva é uma doença transmissível. É caracterizada pelo contágio direto, ou seja, através de mordida, arranhões ou lambedura de cães, gatos ou outros mamíferos, como por exemplo, morcegos, infectados. A adesão da população à Campanha é importante para que a Raiva permaneça sob controle.

Todos os cães e gatos com mais de três meses de idade devem receber a vacina, exceto os animais doentes (diarreia, secreção ocular ou nasal, convalescentes de cirurgias ou outras enfermidades).

Observações:

Embora não seja contraindicado, é preferível que fêmeas prenhes não sejam vacinadas em campanha, devido ao risco no transporte e manejo do animal.

Cadelas no cio podem causar transtornos no posto volante, é aconselhável a vacinação em um dos

Postos Fixos.

A vacinação é uma das mais importantes medidas para a prevenção e controle da doença. Outras medidas também são importantes, tais como:

Manter o animal domiciliado e levá-lo para passear somente com coleira e guia evitando contato com outros animais desconhecidos;

Não mexer em cães e gatos desconhecidos para prevenir agressão;

Ao ser mordido ou arranhado por um cão ou gato lave bem o local com água e sabão e procure orientação médica na Unidade de Saúde mais próxima;

Em especial para os gatos, deve-se cuidar para que não saiam à noite para locais abertos evitando contato com morcegos, que também podem transmitir a raiva.

A vacinação é gratuita e obrigatória para cães e gatos, conforme lei municipal nº 13.131/01. As seringas e agulhas são descartáveis.

O comprovante de vacinação é o documento que atesta a vacinação do animal contra a raiva e é valido por um ano. O proprietário deverá identificar, no comprovante de vacinação, os dados do animal, como o nome e nº do Registro Geral Animal (RGA).

Recomendações para o dia da vacinação

Todos os cães devem estar com coleira e guia. A focinheira é obrigatória em animais bravos;

Gatos são mais assustados e devem ser levados em caixas de transporte ou similar, evitando fugas ou acidentes;

Somente adultos com condições de conter os animais devem conduzi-los ao local de vacinação.

A  adesão da população às Campanhas de Vacinação contra Raiva tem mantido o município livre da raiva em humanos e em cães e gatos desde 1982 e 1984, respectivamente.

Embora a raiva esteja controlada nessas espécies, isso não nos isenta da vacinação anual que, além de obrigatória por lei, é o fator de maior relevância para garantir a manutenção de controle da raiva nas populações de cães e gatos e por consequência para a população humana.

Anualmente, são realizados cerca de 15 mil atendimentos na rede hospitalar pública por mordedura de cães e gatos. Em media, somente 10% dos casos notificados de agressão são encaminhados para tratamento, em função dos serviços de vigilância, observação domiciliar e remoção do animal para o canil do CCZ.

Agora o proprietário deve identificar, no cartão de vacinação, o nome do animal e nº do Registro Geral Animal RGA. Este cartão ou comprovante é um documento, atestando a vacinação contra a raiva do seu animal, com validade de um ano e necessário para obtenção do RGA.

Informações úteis:  

A partir dos três (03) meses de idade, cães e gatos devem ser vacinados contra raiva todos os anos;

Cães e gatos não devem ter livre acesso à rua;

Ao sair com animal mantenha-o sob controle, utilizando coleira e guia;

Nunca provoque um animal;

Não toque em animais estranhos, feridos ou que estejam se alimentando;

Não aparte brigas entre animais, nem mexa com fêmeas e suas crias

Em caso de acidentes por mordedura ou arranhadura de cães e gatos:

Lavar o ferimento com água e sabão e procure orientação médica;

Identifique o animal agressor e seu proprietário;

Caso o cão ou gato for conhecido, observar o animal por 10 dias;

Caso o animal não tenha dono, desapareça, adoeça ou morra, procure imediatamente orientação com o Centro de Controle de Zoonoses, fone 3397-8900 plantão 24 horas).

About Alessandro Turci

Obrigado por visitar o Blog da B-Lux Tomadas e Interruptores.