News
Loading...
Blog Parceiro

Aneel anuncia redução na conta de luz




A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) anunciou no seu site que a bandeira tarifária para o mês de Julho será verde, sem custo para os consumidores. O anúncio foi feito na Sexta-feira passada (24/06) de acordo com o calendário previsto para divulgação das bandeiras. 

O funcionamento das bandeiras tarifárias é simples: as cores verde, amarela ou vermelha indicam se a energia custará mais ou menos em função das condições de geração de eletricidade. Com as bandeiras, a conta de luz fica mais transparente e o consumidor tem a melhor informação para usar a energia elétrica de forma mais consciente.

Além desta boa notícia o consumidor terá sua conta de luz reduzida, pois a ANEEL aprovou na Terça-feira (28/06), durante Reunião Pública de Diretoria, o reajuste tarifário da Eletropaulo Metropolitana Eletricidade de São Paulo S.A-Eletropaulo, o qual garantirá para os consumidores residenciais (Classe B1), uma redução de -7,27% (negativo) no valor da tarifa. 

Os novos valores vigorarão a partir da próxima Segunda-feira (04/07/16) para 6,9 milhões de unidades consumidoras localizadas na capital São Paulo.

Confira abaixo os percentuais por classe de tensão:


Efeito médio por classes de tensão*
Variação (%)
Alta Tensão em média (indústrias)
-9,74% (negativo)
Baixa Tensão em média
-7,30% (negativo)
Média (Baixa Tensão e Alta Tensão)
-8,10% (negativo)


O efeito médio da alta tensão refere-se às classes A1 (>= 230 kV), A2 (de 88 a 138 kV), A3 (69 kV) e A4 (de 2,3 a 25 kV). 

Para a baixa tensão, a média engloba as classes B1 (Residencial e subclasse residencial baixa renda); B2 (Rural: subclasses, como agropecuária, cooperativa de eletrificação rural, indústria rural, serviço público de irrigação rural); B3 (Industrial, comercial, serviços e outras atividades, poder público, serviço público e consumo próprio); e B4 (Iluminação pública).

Entre os itens que contribuíram para a redução da tarifa da Eletropaulo estão a redução do custo com compra de energia, principalmente da usina de Itaipu. Além disso, a Eletropaulo conseguiu substituir contratos bilaterais mais caros por outros mais baratos, reduzindo o custo de seu mix de energia.

O diretor-geral da Aneel, Romeu Rufino, destacou ainda a redução do peso dos encargos  setoriais que bancam  subsídios, como a Conta de Desenvolvimento Energético (CDE). As tarifas da Eletropaulo já não vão contar com custos extras que a Aneel retirou da conta recentemente. Um dos principais itens que saíram da conta de luz foi a arrecadação que seria  realizada para viabilizar empréstimos subsidiados para as distribuidoras da Eletrobras, que somariam R$ 1 bilhão.



Fontes:
ANEEL 2
ESTADÃO


About Giselle Forestiero

Obrigado por visitar o Blog da B-Lux Tomadas e Interruptores.