News
Loading...
Blog Parceiro

Recordando: Glória a Cachorrinha


Hoje vamos recordar a nossa querida cachorrinha Glória, que teve poucos dias de vida conosco, mas nos mostrou a Solidariedade e a força da União.


Meus amigos essa é a cachorrinha Glória que infelizmente de seu ultimo respiro nesta sexta feira 26 de novembro (2010) por volta das 18:00 horas quando nossa colega Érika chegou à empresa para levar Glória ao veterinário e a encontrou repousando.

Glória foi encontrada pelo diretor da empresa Building Conectores (Alexandre de Andrade Jr) que nos descreve o encontro com Glória:

“Eu achei a cachorrinha quando fui ao prédio deposito da empresa, no dia 17 porém não fiz nada aquele dia. À noite mal consegui dormir pensando nela, pois já estava bem debilitada, mal conseguindo andar.


No dia seguinte, 18.11, antes de vir pra fábrica, passei no prédio deposito para ver se a encontrava, e para minha agradável surpresa, ela estava em frente ao prédio.


Convoquei o Marchinha (Colaborador Lucivaldo)  pra me ajudar a colocar ela pra dentro do prédio e passamos a cuidar dela. Tenho certeza que ela teve sua última semana de vida, com carinho, tratamento digno e todos os cuidados necessários. Tudo que pudemos fazer para salva-la, foi feito.”

Neste período Glória teve todo cuidado devido tornando-se a mascote da Empresa Building Conectores, recebeu casinha (Daquelas de Plástico) tratamento veterinário e medicamento. Grande parte do medicamento era aplicado em injeções e via oral por uma seringa sempre ministrada carinhosamente pelo nosso coloborador Eugênio que aparece no vídeo dando água para Glória com a seringa.

Sempre que eu podia eu dava uma ida até sua casinha para dar uma olhada em seu potinho de água, falar e dar carinho à cachorrinha Glória, que carinhosamente a lhe chamava de “Menina”.


Além de diversas enfermidades como maus tratos, Glória tinha a doença “cinomose” que é uma doença altamente contagiosa provocada pelo vírus CDV (Canine Distemper Vírus) ou Vírus da Cinomose Canina (VCC), da família Paramyxoviridae, que atinge animais da família Canidae, Mustelidae, Mephitidae e Procyonidae (entre eles cães, furões/ferrets e alguns outros animais silvestres).

A cinomose não é uma zoonose, isto é, não passa para seres humanos; contudo o ser humano pode carregar o vírus até que ele chegue a um animal sadio. A transmissão ocorre, em geral, através do contato com secreções do nariz e boca do animal. Isso pode se dar através de um espirro do animal doente, espalhando a secreção ao redor e contaminando os cães que estejam por perto. É muito importante que se diga, que o vírus da Cinomose tem pouca resistência em nível ambiental, ou seja, fora do organismo do seu hospedeiro, o que facilita o controle ambiental da disseminação da doença, diferentemente do que ocorre com a parvovirose, por exemplo.

A Cinomose é a doença mais importante dos cães. A descrição clássica em livros textos é de uma infecção viral aguda caracterizada por febre bifásica, secreções nasal e ocular, indisposição, anorexia, depressão, vômito, diarréia, desidratação, leucopenia, dificuldades respiratórias, hiperceratose do focinho e dos coxins plantares, mioclonia e sintomatologia neurológica.

Tanto os animais tratados quanto os não tratados podem desenvolver sintomatologia nervosa, mas esta é mais comum nos últimos. Essa fase nervosa da doença pode ser caracterizada por espasmos musculares (mioclonia) e comportamento fora do normal. Esse "comportamento fora do normal" é provocado pela desmielinização do sistema nervoso, o cão pode se tornar agressivo e não reconhecer o dono. Com o degeneramento avançado da baínha de mielina, o cão pode apresentar paralisia devido à fragmentação dos neurônios. Embora hoje em dia muitos Veterinários recomendem a eutanásia de um animal com paralisia pela cinomose, a acupuntura tem sido um tratamento alternativo bastante utilizado, inclusive mostranho alguns casos de sucesso.

Como a maioria dos cães infectados ficam com as pupilas dilatadas, ao notar isso é aconselhável manter o cão em local com pouca luz, isso evitará a queima da retina evitando a cegueira.

Agradecimentos:

Em nome da cachorrinha Glória agradeço à:

Alexandre de Andrade Jr (Encontrou Glória e arcou com todas as despesas).
Erika e Sua Mãe (Levava Glória ao Veterinário e outros).
Eugênio (Que cuidou de Glória com dedicação, carinho e paciência).

Tenho a certeza de que Deus não irá esquecer este GESTO DE CARINHO.

Parabéns a todos vocês e Glória....

Valeu Menina!

About Alessandro Turci

Obrigado por visitar o Blog da B-Lux Tomadas e Interruptores.